O Genocídio belga no Congo Pt1 – Geopizza #30

O Genocídio belga no Congo Pt1 – Geopizza #30

julho 12, 2020 0 Por zottiss

Em 1885, uma conferência em Berlim entre as principais potências europeias acordaram que todo o continente africano menos a Libéria (independente dos EUA em 1847) e a Etiópia tornariam-se protetorados europeus.

A reunião, sem nenhum africano presente, também reconheceu uma área de 2.345.000 km² no centro africano como propriedade do rei belga, Leopoldo II. O Estado Livre do Congo, era uma ambição do rei em realizar um trabalho missionário através de sua pessoas física, com o argumento de combater a escravidão entre outros africanos, assim como o canibalismo e o paganismo.

Contudo, a ambição de Leopoldo era econômica e sua instituição filantrópica era apenas uma fachada para a Comunidade Internacional. Desde pequeno, o rei tinha fascínio em colônias e sonhava em ter um território lucrativo. Após estabelecer-se na região e ignorar totalmente a existência de reinos e povos que já existiam no atual Congo – mais de 30 milhões de pessoas – Leopoldo criou seu exército privado, a Force Publique, para suprimir revoltas, estabelecendo uma cota de extração de borracha e marfim que os congolenses eram obrigados a cumprir.

Caso falhassem em cumprir suas cotas, os congoleses tinham suas mãos cortadas como sinal de punição. O trabalho forçado de Leopoldo estendia-se a todos africanos no Estado Livre do Congo, assim como crianças, mulheres e idosos, muitas vezes captados à força para servir na Force Publique.

Através de uma campanha de mídia falsa que censurava todo tipo de denúncia feita na região, Leopoldo moldou uma imagem de filantropo, desmerecendo todo o trabalho de jornalistas, militares e missionários que denunciavam suas atrocidades.

O Estado Livre do Congo foi propriedade privada do rei por 23 anos, enriquecendo o rei belga que promoveu dezenas de obras públicas na Bélgica como parques, prédios, museus, palácios pessoais e até mesmo uma Exposição Universal em 1897.

Em 1900, jornalistas formaram a Associação de Reforma do Congo que tinha ambição de encerrar as atrocidades de Leopoldo. A associação promoveu palestras, comícios, distribuiu panfletos, revistas e fotografias sobre a causa. A associação teve a participação de pessoas como notáveis da época Mark Twain, Arthur Conan Doyle (criador do Sherlock Holmes) Booker T. Washington e Bertrand Russell.

Após 6 anos de atividade, a Associação tornou a propriedade de Leopldo indefensável, obrigando o governo belga a anexar o território como colônia, retirando-a como propriedade privada do rei. Contudo, Leopoldo e todos os envolvidos nas atrocidades no Congo, nunca foram julgados e sequer multados, muito pelo contrário. Henry Stanley, que comandou a Force Publique, foi promovido para o Parlamento Britânico de 1900-1905.

Links úteis:

Mapa da África pós Conferência de Berlim em 1884
Foto do missionário com o Rei Kuba
O Príncipe de Maquiavel e a obra de Kaytilya

Cardápio da semana (dicas culturais):

Livros:
King Leopold’s Ghost – Adam Hochschild – 1998
The Scramble for Africa – Thomas Penkehan – 1992
The State of Africa: A History of the Continent Since Independence – Martin Meredith – 2013

Apoie o Geopizza

Esse podcast só foi possível graças a ajuda de nossos apoiadores.
Auxilie o Geo a continuar produzindo seus podcasts quinzenais e publicação diária nas redes através do https://apoia.se/geopizza ou https://app.picpay.com/user/geopizzza


Escute o podcast também no:
Spotify: https://spoti.fi/2NJLR91
Apple Music: https://apple.co/2ItQEJT
Google podcasts: https://bit.ly/34zCuje
Deezer: https://bit.ly/35c4Fpl

Hots: Rodrigo Zottis e Alexander Desmouceaux


Fontes utilizadas no podcast (por tópico):

Estado Livre do Congo: https://bit.ly/303dXSG e King Leopold’s Ghost – Adam Hochschild
Exposição Universal 1897: https://bit.ly/38YoYsV
Tráfico de escravizados árabe: https://bit.ly/2ZknENJ
Estatuas de europeus removidas na África:
https://www.bbc.com/news/world-europe-53017188
https://newafricanmagazine.com/10988/
https://t.co/4bZZWGRi5j?amp=1


O podcast transcrito aqui no site, sai até sexta-feira, 24/07!